As Notícias do Mundo Lusófono
 Notícias de Angola Notícias do Brasil Notícias de Cabo Verde Notícias da Guiné-Bissau Notícias de Moçambique Notícias de Portugal Notícias de São Tomé e Príncipe Notícias de Timor Leste
Ir para a página inicial de Noticias Lusofonas desde 1997 director: Norberto Hossi
 Pesquisar
 
          em   
 Notícias

 » Angola
 » Brasil

 » Cabo Verde
 » Guiné-Bissau
 » Moçambique
 » Portugal
 » S. Tomé e Príncipe
 » Timor Leste
 » Comunidades
 » CPLP
 
Informação Empresarial
Anuncie no Notícias Lusófonas e divulgue a sua Empresa em toda a Comunidade Lusófona
 Canais


 » Manchete
 » Opinião
 » Entrevistas
 » Cultura
 » Desporto
 » Comunicados
 » Coluna do Leitor
 » Bocas Lusófonas
 » Lusófias
 » Alto Hama

 » Ser Europeu

Siga-nos no
Siga o Notícias Lusófonas no Twitter
Receba as nossas Notícias


Quer colocar as Notícias Lusófonas no seu site?
Click Aqui
Add to Google
 Serviços

 » Classificados
 » Meteorologia
 » Postais Virtuais
 » Correio

 » Índice de Negócios
 
Venha tomar um cafezinho connoscoConversas
no
Café Luso
 
  Ser Europeu
Liliana Castro




Verão quente em Portugal

- 9-Jul-2009 - 16:30

Este ano, apesar de estarmos em período de férias, a vida política prevê-se agitada em Portugal. Gestos e insultos à parte, com duas eleições decisivas à porta (duas e separadas, a meu ver correctamente) delineiam-se estratégias, programas e o marketing já está a funcionar.
Seja para avançar Portugal com verdade ou não, a questão que mais uma vez se coloca é o grande alheamento da população.

Porque já não há paciência para promessas e planos, não há vontade para ouvir e retorquir, não há votos nas urnas.

Após mais uma decepcionante participação nas eleições europeias devemos questionar-nos acerca do que faz mover ou deter os cidadãos.

Há uma grande e grave crise de credibilidade da classe política, não só em Portugal como por toda e Europa e também (caso paradigmático) em África.
Como podem democracias recentes aguentar-se com tamanha corrupção?

Como podem velhas democracias aguentar-se com tantos vícios instalados?

Os cidadãos têm vontade de intervir. Manifestam-se, discutem, criam blogs, escrevem, gritam. Mas… não votam.

Porque o voto caiu no descrédito. Porque nada muda com o voto.
Por isso cada vez mais acredito nos movimentos cívicos, nas empresas, nas associações, em toda uma cidadania activa, consciente e responsável que se pratica todos os dias.

Saiba a classe política ouvir a aprender com quem faz o país todos os dias.

09.07.2009
Mestranda em Integração Europeia e Economia Internacional
liliana.gilberto@gmail.com
http://sereuropeu.blogspot.com


Marque este Artigo nos Marcadores Sociais Lusófonos




Ler Artigos anteriores


 
   
 


 Ligações

 Jornais Comunidades
 
         
  Copyright © 2009 Notícias Lusófonas - A Lusofonia aqui em primeira mão | Sobre Nós | Anunciar | Contacte-nos

 edição Portugal em Linha - o portal da Comunidade Lusófona Criação de Websites Portugal por NOVAimagem