As Notícias do Mundo Lusófono
Notícias de Angola Notícias do Brasil Notícias de Cabo Verde Notícias da Guiné-Bissau Notícias de Moçambique Notícias de Portugal Notícias de São Tomé e Príncipe Notícias de Timor Leste
Ir para a página inicial de Noticias Lusofonas desde 1997 director: Norberto Hossi
Pesquisar

em
Notícias

» Angola
» Brasil

» Cabo Verde
» Guiné-Bissau
» Moçambique
» Portugal
» S. Tomé e Príncipe
» Timor Leste
» Comunidades
» CPLP
Informação Empresarial
Anuncie no Notícias Lusófonas e divulgue a sua Empresa em toda a Comunidade Lusófona
Canais


» Manchete
» Opinião
» Entrevistas
» Comunicados
» Coluna do Leitor
» Bocas Lusófonas
» Lusófias
» Alto Hama

» Ser Europeu

Siga-nos no
Siga o Notícias Lusófonas no Twitter
Receba as nossas Notícias


Quer colocar as Notícias Lusófonas no seu site?
Click Aqui
Add to Google
Serviços

» Classificados
» Meteorologia
» Postais Virtuais
» Correio

» Índice de Negócios
Venha tomar um cafezinho connoscoConversas
no
Café Luso
Desporto
Desporto para deficientes carece do decisivo apoio dos clubes
- 4-May-2010 - 10:58


"Não é possível continuar a ter desporto exclusivamente nas organizações de pessoas com deficiência”, diz o presidente do Comité Paralímpico de Portugal

O desporto para pessoas com deficiência em Portugal só se poderá massificar se começar a ser praticado nos clubes, com o apoio das respectivas federações de modalidade, defende o presidente do Comité Paralímpico de Portugal (CPP), Humberto Santos, num alerta que todos esperam seja ouvido pelos que podem de facto dar um decisivo apoio.

"Não é possível continuar a ter desporto exclusivamente nas organizações de pessoas com deficiência. Elas são em número diminuto e estão dispersas no território", afirma Humberto Santos, em entrevista à Agência Lusa.

Humberto Santos considera que esse trabalho só pode ser feito através de uma sensibilização das federações desportivas, para que estas passem a dispor de áreas para pessoas com deficiência.

O presidente do CPP reconhece que para poderem desenvolver esse trabalho, "as federações vão ter que ter alguma atenção por parte da tutela desportiva".

O dirigente afirmou já ter iniciado o trabalho de sensibilização das federações e mostra-se satisfeito com "a receptividade genérica", que tem tido à proposta de desporto inclusivo.

Além do trabalho nas federações, Humberto Santos considera que também há "um trabalho muito grande para fazer, ao nível do desporto escolar", apesar de reconhecer que já está a ser feita "alguma coisa".

O presidente do CPP, organismo criado em Novembro de 2008, entende também ser essencial a "desconstrução de algumas teorias que existem em torno das pessoas com deficiência".

Só assim, defende, será possível atingir os grandes objectivos do CPP: "Aumentar o número de atletas, de jovens praticantes e de mulheres, bem como o número de federações envolvidas".

Actualmente, a Federação de Desporto para Deficientes (FPDD) continua a ser a que mais atletas tem envolvidos na alta competição, mas há já federações que desenvolvem o desporto adaptado, entre as quais as de ciclismo, equitação, remo e vela.


Marque este Artigo nos Marcadores Sociais Lusófonos




Ver Arquivo

 
 Video Destaque
Ligações

Jornais Comunidades

 
Copyright © 2009 Notícias Lusófonas - A Lusofonia aqui em primeira mão | Sobre Nós | Anunciar | Contacte-nos

edição Portugal em Linha - o portal da Comunidade Lusófona Website Design Portugal por NOVAimagem