NCaster Has not been assigned a template for this catogory. This site is powered by Project ncaster
using defalts layout O primeiro-ministro são-tomense, Patrice Trovoada, e o presidente do conselho de administração da Sonangol, Manuel Vicente, rubricaram um memorando de entendimento que estabelece as modalidades da concessão. O documento fixa também uma data (que não foi divulgada) para a efectivação da concessão.

A mesma fonte afirma que a Sonangol vai alargar em mais 300 metros a pista do aeroporto internacional de São Tomé, proceder à sua iluminação, e alargar, equipar e modernizar a aerogare, num custo superior a 15 milhões de euros.

"Trata-se de um projecto que já vem do anterior Executivo e que este Governo está a proceder a alguns ajustes e executar", explica a fonte, que não adiantou quais as contrapartidas para a petrolífera angolana.

Relativamente ao porto de Ana Chaves, o projecto da Sonangol, segundo a mesma fonte, visa "o seu prolongamento para mar em alguns metros e equipamento".

A assinatura do memorando seguiu-se a um encontro demorado em que a parte angolana informou o Governo são-tomense sobre a situação do projecto de armazenagem de combustíveis, que a empresa angolana pretende construir na cidade de Neves, no norte da ilha de São Tomé, acrescentou.

Dois outros assuntos foram igualmente abordados no encontro: a possível entrada do capital da Sonangol na transportadora aérea são-tomense STP - Airways, bem como a possibilidade de uma parceria entre a companhia são-tomense de água e energia (EMAE) e a empresa são-tomense de combustíveis e óleo (Enco), da qual a Sonangol é accionista maioritário com mais de 70%.