NCaster Has not been assigned a template for this catogory. This site is powered by Project ncaster
using defalts layout Esta greve já recebeu a solidariedade dos partidos políticos com assento parlamentar, nomeadamente o MLSTP/PSD, PCD e o MDFM/PL, que acusam o Governo de «arrogância, prepotência e falta do dialogo no sistema político» do arquipélago santomense para com os jornalistas e técnicos da única emissora estatal.

A Comissão dos Trabalhadores radiofónicos, acusam o Governo do ADI, de proteger o crescimento sistemático da televisão santomense e colocoar a Rádio Nacional numa situação difícil uma vez que não tem há filiação partidária.

O sindicato dos jornalistas e técnicos da Comunicação Social, reunidos em sessão extraordinária para analisar exclusivamente esta greve da RNSTP, manifestou a sua preocupação em relação à condição actual da Comunicação Social nacional em geral e particularmente dos órgãos do Estado.

Segundo o sindicato, tem consciência do estado precário do sector, que culminou com a greve geral e disponibilizou-se a contribuir para que haja um espaço próprio de diálogo e acompanhar o evoluir do processo em ajudar a encontrar a melhor solução para a resolução das questões que enfermam a Rádio Nacional.

O Comunicado da Comissão Politica do MLSTP/PSD reclama e imputa toda a responsabilidade ao Governo de Patrice Trovoada, devido à ausência de diálogo, o que tem contribuído para a permanência da greve sem um interlocutor válido para lidar com o assunto que impede toda a população do serviço público desta estação estatal, num facto inédito desde a independência em 1975.

«Não é sério nem praticável que um membro do governo tenha tentado negociar via SMS com os responsáveis dos trabalhadores grevistas. Esta atitude revela a pouca importância que este Governo dá a Comunicação Social do Estado e está bem claro que, até hoje, os trabalhadores não sabem quem é o membro do executivo que tutela os jornalistas», enfatizou o porta-voz do MLSTP/PSD, Fernando Maquengo.

O Palácio do Governo terá, entretanto, dirigido diversos ataques que têm chegado à redacção. O Secretario de Estado da Juventude e Desporto, afirmou na TVS que o Governo não pode deixar de manifestar a sua incompreensão e consequente indignação face às atitudes de partidos políticos.

O Governo rejeita categoricamente estas acusações que diz infundadas e pretensiosas, proferidas pelos partidos políticos. Por outro lado, este Governo submeteu uma proposta do Orçamento Geral de Estado que contempla um crescimento da massa monetária em cerca de 10% em relação à massa salarial inscrita para o corrente ano.

O porta-voz do Conselho de Ministros, Abnilde de Oliveira, defende que a reivindicação da Rádio Nacional está no âmbito do esforço colossal que o seu Governo vem fazendo para aumentar o salário real de todos os santomenses, em Geral e, particularmente, dos funcionários públicos.