Construção e optimização de  web sites - NOVAimagem  - search engine optimization
As Notícias do Mundo Lusófono
Notícias de Angola Notícias do Brasil Notícias de Cabo Verde Notícias da Guiné-Bissau Notícias de Moçambique Notícias de Portugal Notícias de São Tomé e Príncipe Notícias de Timor Leste
Ir para a página inicial de Noticias Lusofonas desde 1997 director: Norberto Hossi
Pesquisar

em
Notícias

» Angola
» Brasil

» Cabo Verde
» Guiné-Bissau
» Moçambique
» Portugal
» S. Tomé e Príncipe
» Timor Leste
» Comunidades
» CPLP
Informação Empresarial
Anuncie no Notícias Lusófonas e divulgue a sua Empresa em toda a Comunidade Lusófona
Canais


» Manchete
» Opinião
» Entrevistas
» Comunicados
» Coluna do Leitor
» Bocas Lusófonas
» Lusófias
» Alto Hama

» Ser Europeu

Siga-nos no
Siga o Notícias Lusófonas no Twitter
Receba as nossas Notícias


Quer colocar as Notícias Lusófonas no seu site?
Click Aqui
Add to Google
Serviços

» Classificados
» Meteorologia
» Postais Virtuais
» Correio

» Índice de Negócios
Venha tomar um cafezinho connoscoConversas
no
Café Luso
Contra Corrente
Jorge Eurico



JES:No (more) job for the boys!
- 14-Jun-2012 - 13:21

Depois de muita especulação e informações desencontradas, eis que o Comité Central do MPLA confirmou (sem querer querendo!) que o antigo «patrão» da Sonangol e actual ministro de Estado e da Coordenação Económica será - depois das eleições gerais marcadas para 31 de Agosto do presente ano - coadjutor do actual e futuro Presidente da República no que à gestão dos negócios do Estado angolano diz respeito.

Ou seja, José Eduardo dos Santos é o «número um» das lista de candidatos a deputados à Assembleia Nacional pelo MPLA e Manuel Domingos Vicente o «número dois». Dito de outro modo: depois das eleições gerais, o primeiro será (re)confirmado no cargo e o segundo irá render Fernando da Piedade Dias dos Santos no posto de vice-Presidente da República.

Antes da realização da V sessão do Comité Central, que teve lugar no Complexo do Futungo II, em Luanda, especulava-se (e de que maneira!) sobre os possíveis nomes que ocupariam o segundo lugar da lista. Vários foram invocados. Mas, depois da confirmação do nome de Manuel Vicente como segundo cabeça-de-lista houve mal- estar. Houve choros, o escárnio do mal dizer de muitos veio ao de cima. Soltaram o fel por terem dado conta que o fim dos tempos dos «job for the boys and friends» tem os dias contados.

Apesar da especulação que se vinha fazendo, jamais pensou-se que determinados nomes que ocupam lugares cimeiros no MPLA fossem agora estar em posições inimagináveis na lista de candidatos a deputados à «Casa da Democracia» (leia-se Parlamento).

A escolha de Manuel Vicente para o cargo de futuro vice-presidente da República assenta (quanto a mim) como uma luva ao país que precisamos depois das eleições.

Penso que o líder do MPLA escolheu a pessoa certa para o lugar certo, por já ter mostrado o quanto vale como gestor...da Sonangol.

José Eduardo dos Santos tem mostrado, de algum tempo a esta parte, que o concurso que cada angolano pode dar para o desenvolvimento do país, nada tem a ver com a militância político-partidária.

A (nova) filosofia do actual e futuro chefe do Executivo tem sido a seguinte: é angolano, é bom técnico, então serve. Ma(i)s nada!

Na mente de José Eduardo dos Santos reina o principio segundo o qual para os lugares-chaves não devem ser necessariamente indicados angolanos que militem no partido no poder.

Para José Eduardo dos Santos confiar um cargo público a alguém, basta que se esteja imbuído do espírito do programa do Executivo, ame Angola e os angolanos. Ma(i)s nada! E Manuel Vicente é, quanto a mim, isto mesmo: um angolano bem formado que vai dar conta do recado.

Ou seja: o futuro vice-presidente da República não será - contrariamente ao que se vai dizendo à boca pequena - uma pedra no meio da engrenagem do Executivo que vai emanar das eleições gerais de 31 de Agosto próximo.

Mas mais importante no meio de tudo isso, é que o presidente do MPLA mostrou aos militantes do seu partido que se acabaram os tempos de «job for the boys, job for the friends». E mostrou que vêm aí outros tempos.


PS - A origem da expressão «Jobs for the Boys» aponta para o sistema de ensino clássico britânico, onde alunos (\"boys\") provenientes das mesmas escolas que os seus empregadores são preferidos para desempenharem determinadas funções (\"jobs\"). Na verdade, o significado dado à expressão é bastante mais vasto e representa o favoritismo dado a parentes, amigos ou outros grupos com características comuns, muitas vezes na escolha para um trabalho mas também em qualquer outra situação onde existe favorecimento de uns em detrimento de outros.

Marque este Artigo nos Marcadores Sociais Lusófonos




Ver Arquivo


Anuncie no Noticias Lusofonas e dê a conhecer a sua Empresa em toda a Comunidade Lusófona
Ligações

Jornal de Angola
Sindicato dos Jornalistas
AngolaPress - Angop
Televisão de Angola

Copyright © 2009 Notícias Lusófonas - A Lusofonia aqui em primeira mão | Sobre Nós | Anunciar | Contacte-nos

edição Portugal em Linha - o portal da Comunidade Lusófona design e programação NOVAimagem - Web design, alojamento de sites, SEO